SE EU PUDESSE MUDAR O MUNDO

 

Vou colocar o mundo em uma palheta de cores
A tristeza, colorirei de amarelo e sorrisos brotarão
Brotarão como as águas límpidas que jorrarão em abundância
Transformando em uma linda aquarela os becos e ruínas
Trazendo vida onde antes era tudo sombrio e frio


Vou colocar o mundo em uma palheta de cores
A fome, pincelo de verde, e frutos germinarão saudáveis
Em lindos e extensos campos o aroma se misturará às cores
O cenário ganhará música no canto dos pássaros e cigarras
Nas terras áridas, pinto de vermelho, terra vermelha boa para plantação


Vou colocar o mundo em uma palheta de cores
Nas dores do mundo, pintarei um gigante arco-íris
A energia de suas cores curará todos os males e aflições
Borboletas multicoloridas pousarão sua beleza no amargo da vida
Transformando o pesar em deliciosas sensações multissensoriais
 

Vou colocar o mundo em uma palheta de cores
Pinto de azul os córregos e rios poluídos, e peixes nadarão livremente
Em suas águas despoluídas se banharão felizes homens e mulheres
No lixo depositado no fundo dos oceanos, pinto de branco
E a história se refará, e o homem educado jamais poluirá


Vou colocar o mundo em uma palheta de cores
Na pressa que aflige a vida, pintarei um relógio ao contrário
E o tempo, desbaratinado, ficará perdido, à mercê de cada um
Cada qual fará o uso do tempo ao seu modo, será um tempo sem tempo
Na arrogância, preconceito, ganância e inveja, derramo a cor preta
Transformá-las-ei em asfalto e elas jamais germinarão no mundo


Vou colocar o mundo em uma palheta de cores
Cansei dessa nossa história, dessas batalhas desonestas
Da desigualdade, das guerras em vão, da falta de esperança
Como é bom fantasiar que posso recriar em cores um mundo melhor!


Vou colocar o mundo em uma palheta de cores


Copyright © 2013 - Todos os Direitos Reservados à Marcela Re Ribeiro - Reprodução Proibida

LIVROS DA AUTORA

​SIGA-ME

  • Facebook Classic
  • Instagram ícone social
  • LinkedIn ícone social
  • Twitter Classic
  • c-youtube

© 2018 Todos os Direitos Reservados à Marcela Re Ribeiro